Cliente com menos de 40 anos de idade , apresentando quadro de Hepatite C Crônica,  com fibrose 0 e com intenção em engravidar, teve tratamento para redução da carga viral  prescrito a fim de evitar a transmissão vertical do vírus.
Em razão de ter o pedido administrativo negado pelo Estado do Rio Grande do Sul, o qual alegou que a autora não se enquadrava nos critérios mínimos previstos no Protocolo Clínico do Ministério da Saúde para Hepatite C a autora ingressou judicialmente para obtenção do tratamento, através da advogada especialista em Direito Médico e da Saúde Antonella Aramayo.
Tendo comprovado a evolução da doença e a necessidade de tratamento foi concedida a antecipação de tutela à autora para que o Estado do Rio Grande do Sul forneça o tratamento prescrito.
É firme a jurisprudência do STF reconhecendo o dever do Estado ( leia-se União, Estados, Distrito Federal e municípios) de assegurar o direito à saúde aos cidadãos.
Sempre que houver negativa em tratamentos, procedimentos e outros deveres do Estado, busque orientação de um advogado especialista!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *